Dr Rodrigo Cesar Barbosa
CRMV SP 23010

Dr Mario Silva Barbosa
CRMV SP 1564

Joey

Anestesia na Medicina Veterinária

O processo de abolir a dor para realização de um procedimento cirúrgico, conhecido como anestesia, foi primeiramente relatado na Medicina Veterinária na metade do século XIX, logo após a demonstração no homem. O primeiro agente anestésico utilizado foi o éter, o qual era inalado diretamente. Entretanto muitos acidentes ocorreram já que ele era utilizado sem a mistura com o ar ambiente. Com o surgimento dos inaladores o processo anestésico utilizando o éter se tornou mais seguro.
No início do século XX com o desenvolvimento do tiopental sódico, o qual era administrado por via endovenosa, o éter perdeu espaço como principal agente anestésico. Durante muitos anos o tiopental foi empregado nos processos anestésicos, porém problemas na recuperação pós anestésica, forçaram o desenvolvimento de agentes mais seguros. A partir de 1950 houve um grande avanço na anestesia veterinária com a introdução dos anestésicos dissociativos e dos halogenados como agentes de anestesia inalatória.
A anestesia dissociativa promove uma interrupção do fluxo de informações que chegam ao cérebro. Além disso, promove sedação e hipnose de grau moderado a profundo. Os anestésicos dissociativos são amplamente utilizados na Medicina Veterinária devido a facilidade de administração (podendo ser aplicado por via endovenosa ou intramuscular) e ao baixo custo. Além disso, é utilizada em pacientes sadios e jovens e em procedimentos cirúrgicos de curta duração. Porém eles apresentam alguns efeitos colaterais como convulsões (podendo ser evitadas utilizando agentes anti-convulsionantes), salivação profusa, excitação e movimentos musculares involuntários. Além disso, a anestesia dissociativa é contra-indicada para pacientes idosos ou em estado de saúde grave.
Atualmente a anestesia inalatória é o processo anestésico mais seguro que existe tanto na Medicina humana como na Veterinária. Ela ocorre pela absorção do anestésico através da via respiratória, utilizando um aparelho e circuito anestésicos. A anestesia inalatória tem como principal indicação: pacientes idosos, com estado de saúde grave e em procedimentos cirúrgicos de longa duração (devido ao maior controle do plano anestésico). Graças a sua segurança e a rápida recuperação (quase sem efeitos colaterais) a anestesia inalatória vem crescendo, junto aos proprietários, como agente de eleição para os processos cirúrgicos de seus ”pets”.
Muito obrigado! Ate a próxima

Rodrigo Cesar Barbosa
CRMV 23010 – SP